Seja Bem-Vindo

Seja Bem-Vindo

domingo, 3 de novembro de 2013

Pedra solta



Sob os olhos
desfilam
sucessão de superficialidades
comuns
pela repetição
Algumas se perpetuam

Pedras se encaixam
adaptadas pela proximidade
solidificada
do limo

Inadequadas
ao sabor das intempéries
vagueiam uma ou outra

de imperceptível limo
incrustado
nas fissuras



Novembro, 03 de 2013
Fotografia, Marlene Edir Severino

5 comentários:

  1. o que é comum aos olhos quando se é cego para os súbitos?

    beijos, Marlene!

    ResponderExcluir
  2. Já vi um cego chorar lágrimas vivas

    ResponderExcluir
  3. Pedras?
    Gosto delas
    Quando elas
    Cumprem seu papel.

    Quero também cumprir o meu...

    abraço

    ResponderExcluir
  4. Poemas de para além do quintal: belo!

    beijos, Marlene

    ResponderExcluir
  5. o poema e o absoluto: só as pedras soltas, as que não encaixam nas demais abrem caminhos além do plural... por que tudo tem de ser puzzle e solução?

    beijinho, marlene!

    ResponderExcluir